Boas práticas nos marketplaces

By:

Você já sabe que os marketplaces funcionam como uma espécie de “shopping virtual”, e que concentram uma gigantesca variedade em produtos  de inúmeras categorias de lojistas diferentes dentro do mesmo site. E pra não virar um amontoado de produtos sem sentido, os marketplaces adotam alguns padrões que deve ser seguido por todos os lojistas que hospedam seus produtos nos marketplaces.

Essas “boas práticas” garantem a padronização da qualidade do marketplace, garantindo sua credibilidade perante seus clientes ao permitir que outras lojas vendam seus produtos no canal de vendas.

Conhecer melhor e seguir essas “boas práticas” é muito importante e vai te ajudar a ter seus produtos publicados em menos tempo, e acima de tudo, vai ajudar seu cliente encontrar o que procura de forma fácil.

 

Crie títulos impactantes!

O título é a primeira coisa que o clientes bate o olho na hora da compra! Caso se trate de um título pouco atraente e não muito convincente, com certeza, o consumidor irá apenas ignorar seu produto. Mas caso seja um título bacana e que chame atenção assim que o olho dele bater no título, a interação será completamente diferente, partindo do princípio que haverá um mínimo de interação. Esse é o primeiro passo, muito importante inclusive, considere o “título” a porta de entrada da sua loja que conecta ao seu produto. E também, tem o fato de que os marketplaces revisam todos os anúncios que são publicados, e um título confuso pode fazer com que seu anúncio seja recusado.

Para evitar que isso acontece, você pode usar essa fórmula aqui:

[produto] + [marca] + [modelo/série/referência/coleção] + [até 2 atributos permitidos e relevantes]

 

Lembre-se de tomar os seguintes cuidados:

 

  • A marca presente no nome deve ser a do fabricante, não a sua, e apenas se você tiver direito de uso;
  • Não é possível usar caracteres especiais (?, @, #, $, %, *, &, !), nem códigos ou abreviações que dificultem a compreensão do consumidor;
  • Textos em letras maiúsculas, sejam palavras ou frases inteiras também não são permitidos.

 

Venda seu peixe! 

Depois de saber o que é o seu produto, o consumidor precisa ser convencido de que ele encontrou o produto ideal. Eis o momento de “vender o seu peixe”, nessa hora a descrição vai funcionar como um canal para convencer seu cliente que este é sim o produto que ele estava procurando, e também, que você é o melhor vendedor do segmento.

A descrição deve ser clara e objetiva, destacando as principais características do produto sem ser puramente comercial, precisa ser uma descrição que permita o consumidor entenda com clareza, como é seu produto.

Segue algumas dicas básicas pra te ajudar com isso:

 

  • Crie  um check list com perguntas que seus clientes podem vir a fazer na hora da compra. Monte sua descrição baseado nas respostas dessas questões descrevendo bem seu produto;
  • O primeiro parágrafo é o que vai convencer o comprador a ler toda a descrição, preocupe-se em criar algo atrativo;
  • Revise bem antes de publicar, alguns marketplaces não permitem alterações depois que seu produto é publicado e erros ortográficos, podem acabar descredibilizando sua oferta;
  • Caso você tenha dúvida e não saiba como começar, vale dar uma pesquisado e ver como a concorrência trabalha com suas descrições, sempre atento ao que pode ser aproveitado e o que pode ser aprimorado. Mas tome cuidado para não copiar.

 

Características ou Atributos

Os atributos tem como papel complementar as informações de seus produtos, e também, auxiliando os filtros do marketplace. Por exemplo, características de produtos é sua cor, tamanho e até mesmo voltagem, quando se trata de um eletrônico ou eletrodoméstico. Fique atento às regras de cada marketplace, elas podem variar dependendo do segmento de cada canal de venda.

Um detalhe muito importante é que os atributos são obrigatórios para o sistema de logística, pois servem para calcular o frete. Então nunca se esqueça de adicionar o tamanho no sistema métrico (altura, largura e profundidade) e o peso em kg.

 

EAN – É obrigatório?

Já fizemos um post aqui no blog falando sobre a importância do EAN, mas nunca é demais ressaltar sua importância para quem vende em marketplace.

Salve algumas poucas exceções, sim, o EAN dos produtos é obrigatória, assim, produtos sem EAN não serão aceitos nos marketplaces. Mas, como mencionado, há exceções para essa regra. Caso seus produtos não contenham EAN, você pode conseguir autorização para publicar seus produtos, mediante autorização dos marketplaces, que irão analisar a situação e dar seu parecer. Em todo caso é melhor prevenir, não é mesmo?!

 

E aí, gostou das dicas?

Nós da Hub2b estamos sempre trabalhando para nossos clientes terem mais tempo livre para dedicar a sua loja, enquanto nossa solução faz o trabalho operacional (atualizar preço, estoque, baixar e atualizar pedidos). Caso ainda não conheça nossa solução de integração com os marketplaces clique aqui e descubra uma nova forma de gerenciar seu negócio.

Share

A Hub2b conecta a sua loja com os maiores marketplaces do mundo. Não é necessário modificar a sua operação, nem os sistemas que você já está acostumado a utilizar. É possível automatizar toda a operação, eliminando o retrabalho de atualizar várias plataformas diferentes a toda hora. Assim, você pode vender muito mais, trabalhando muito menos.


Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

Notify of
avatar
wpDiscuz