Marketing para e-commerce: confira 6 melhores práticas

Anualmente um número cada vez maior de pessoas vem realizando compras pela internet. Afinal, comprar qualquer tipo de produto ou serviço em apenas alguns cliques, sem precisar sair de casa, é algo muito atrativo para os consumidores. Isso faz com que o mercado fique mais competitivo, o que torna essencial realizar ações de marketing para e-commerce. Quer entender mais sobre esse assunto? Confira o material que preparamos para você!

Como funciona o marketing para e-commerce

Por se tratar de um negócio virtual, as ações de marketing nele aplicadas são diferentes do marketing tradicional usado pelas lojas físicas. Enquanto nestas a divulgação é feita de forma massiva, no mundo virtual a estratégia de marketing é voltada a um público específico, para que os resultados venham. Por isso, definir a persona é um dos primeiros passos.

Como visibilidade no e-commerce é fundamental, ações que tragam um número maior de visitantes ao seu site também devem fazer parte da estratégia. Existem duas formas de fazer isso:

  • Tráfego pago: nesse cenário são desenvolvidas campanhas em canais como Google Adwords e Facebook Ads para atrair pessoas à sua loja virtual, de modo a conhecer seus produtos e serviços.
  • Tráfego orgânico: aqui são feitas ações de SEO para que o site tenha um bom ranqueamento nos resultados de busca do Google e, assim, atraia cada vez mais visitantes.

Porém, as pessoas tendem a comprar de marcas que elas conhecem bem; por isso, relacionar-se com o seu público também faz parte do marketing. E o melhor caminho para isso é transformando parte dos seus visitantes em leads, ou seja, potenciais clientes para o seu negócio.

Um lead surge a partir do momento em que se inserem informações pessoais num formulário online para baixar um e-book, assinar a sua newsletter e afins. A partir disso, você pode iniciar uma comunicação direta com ele por e-mail, com a intenção de aumentar a taxa de conversão em venda, ora conquistando novos clientes ora fidelizando aqueles que já compram de você.

Quando começar a fazer marketing para e-commerce

É comum que alguns empreendedores de e-commerce pensem em criar o seu negócio e, somente após começar a vender, separar parte do seu faturamento para investir em marketing. Contudo, o caminho é justamente o contrário.

As estratégias de marketing digital precisam ser desenvolvidas juntas ao lançamento do e-commerce. Afinal, da mesma forma que uma loja física conta que muitas pessoas passem em frente a ela para poder vender, o mesmo acontece nas lojas virtuais. Porém, na internet, para que as pessoas encontrem a sua loja, é essencial fazer marketing.

Se você ainda não contar com um orçamento alto para investir em ações como campanhas de Google Adwords, pode fazer ações mais econômicas como Inbound Marketing. Algumas empresas reservam de 20% a 50% do seu faturamento para investir em marketing.

Quais são as melhores práticas de marketing para e-commerce

Para que você possa começar a fazer marketing para o seu negócio virtual, separamos aqui algumas boas práticas!

1. Crie um conteúdo relevante para o seu público

Como dissemos mais acima, as pessoas compram das marcas que elas conhecem e em que confiam. Para que a sua empresa passe a mesma imagem ao público, o meio mais assertivo é a criação de conteúdo.

Para isso, é necessário que a sua loja virtual tenha um blog, e que nele sejam postados artigos sobre o seu segmento. Por exemplo:

  • uma loja que vende itens para pets pode falar sobre dicas para cuidar de animais de estimação;
  • um site que vende roupas pode falar sobre estilo e tendências de moda;
  • um e-commerce que ofereça móveis pode trazer dicas de decoração para o lar.

2. Desenvolva uma estratégia de e-mail marketing

Uma vez que o seu negócio esteja gerando leads, é importante nutri-los a partir do e-mail marketing. Porém, isso não se resume a somente enviar mensagens promocionais dos seus produtos.

O primeiro passo da sua estratégia de e-mail marketing é segmentar os tipos de listas a fim de entregar a mensagem certa. Pessoas que baixam um e-book podem estar interessadas em obter mais dicas e informações antes de comprar, enquanto os clientes que já compram com você podem estar mais abertos a receber ofertas de outros produtos.

3. Esteja presente nas redes sociais

Seu público está presente nas redes sociais, isso é fato. Porém, não significa que você deva divulgar o seu negócio em todas as redes que existirem, mas apenas naquelas em que o seu público está inserido. Por isso, faça um estudo a fim de entender quais são as redes que a sua persona usa para desenvolver uma estratégia em cada uma delas.

O Facebook é a maior rede social do mundo, mais de 100 milhões de brasileiros possuem conta nela. Por isso, a sua empresa também precisa estar presente nessa rede, por meio de uma fanpage que poste publicações com frequência e estimule o engajamento entre seus fãs.

Se o seu público for mais jovem, é capaz que esteja presente no Instagram. Por ser uma rede prioritariamente imagética, fotos interessantes e de boa qualidade chamam mais a atenção na rede. Não esqueça de inserir hashtags e também de usar o stories.

Caso você atenda ao público corporativo, sem dúvida sua empresa precisa ter um perfil no LinkedIn, que, a exemplo do Facebook, também conta com anúncios pagos, a fim de atrair mais pessoas ao seu site.

4. Esteja presente nos marketplaces

Os marketplaces trazem uma grande vantagem ao seu negócio: estar presente num canal em que milhões de pessoas poderão ver a sua marca. Portanto, tenha dentro da sua estratégia a inserção nos marketplaces mais acessados pelo seu público.

5. Faça monitoramento dos canais

Somente fazer conteúdo, e-mail marketing e publicações em redes sociais não basta. É preciso também monitorar esses canais para ter certeza de que os resultados estão vindo ao encontro da proposta da estratégia.

6. Analise as conversões

Por fim, é preciso analisar as conversões que as suas ações de marketing estão trazendo para o seu negócio. As principais são:

  • CAC: é a sigla de custo de aquisição de cliente, ou seja, refere-se ao custo que a sua empresa tem para captar um cliente. Quanto menor for o valor, maior será o seu faturamento.
  • ROI: é a sigla de return over investment, isto é, o retorno sobre investimento feito nas ações de marketing. Ele precisa ser positivo para que as ações valham a pena. Por isso a estratégia precisa alinhar se esse retorno virá em curto, médio ou longo prazo.

Agora que você já pode aplicar essas práticas de marketing para e-commerce, que tal receber outras dicas e conteúdos nossos? Siga-nos nas redes sociais: Facebook e LinkedIn.

Comentários
Share

A Hub2b conecta a sua marca com os maiores marketplaces. Conheça a ferramenta mais prática para gerenciar e automatizar a sua operação nos marketplaces.