Qual seu papel na operação com os Marketplaces?

By:

Você já sabe que é uma ótima estratégia vender seus produtos nos marketplaces: visibilidade, aumento das vendas, relevância. Em paralelo, entretanto, lembrar de todos aqueles pedidos que precisam ser criados de forma manual no seu sistema de gestão (ERP), naquelas planilhas intermináveis de produtos que você precisa exportar, editar, importar e publicar, é uma dor de cabeça.

Buscar um Hub de Marketplace então se torna uma prioridade, centralizando cadastros, deixando para o sistema sincronizar o seu catálogo de produtos e replicar para os canais de venda.

Claro que antes disso é essencial conversar e definir claramente como será a “arquitetura” desta solução, sabendo como será a integração dos sistemas.

Outra coisa mais importante ainda é conhecer as responsabilidades e obrigações de cada serviço na integração, pois estarão envolvidos o Marketplace, o Hub, o ERP, a Plataforma de E-commerce, o sistema de Logística, e até planilhas, dependendo o caso.

Entenda o papel e as responsabilidades de cada sistema neste conjunto de processos:

Marketplace

O Marketplace é o “astro” da história. Em termos gerais, a principal responsabilidade do marketplace é fornecer a plataforma (e-commerce) para que a marca cadastre, atualize e venda seus produtos. Além disso, o marketplace precisa controlar a segurança e confidencialidade das informações que o consumidor fornecer, como dados pessoais e bancários; toda a parte de e-commerce (formas de pagamento com variadas operadoras de cartões, marketing, regras no Direito de Arrependimento, Política de Troca e Devoluções de Mercadorias); e ainda fazer os repasses das vendas para a marca no tempo determinado em contrato.

Os Marketplaces não determinam preços de produtos, o que deve ser feito pela própria marca. E isso também ocorre com dados de estoque, valor de frete e prazo de entrega. Ainda, a marca fica responsável por buscar dados de novos pedidos e dados necessários para emissão de Nota Fiscal. A única responsabilidade do marketplace nesta situação é disponibilizar um painel e APIs para que os dados possam ser consultados, cadastrados e atualizados pelas marcas, de forma integrada ou manual.

ERP

O ERP tem grande importância no conjunto de processos. Geralmente (e digo geralmente pois há casos onde a marca opta por não incluir ele diretamente no processo) é nele onde ficam centralizados o controle do estoque, criação de pedidos e a emissão das notas fiscais.

Um ERP é responsável por muitas coisas relacionadas com a gestão. Tudo que acontece antes e depois da compra de um cliente é de responsabilidade do ERP.

Conforme o artigo do nosso parceiro Vtex, um ERP possui 10 principais módulos que o compõe: Administração Geral, Compras, Controladoria, CRM, Faturamento, Financeiro, Fiscal, Logística, SAC e Recursos Humanos.

Atualmente, e como tendência de mercado de alguns anos para cá, alguns módulos têm sido desconectados do ERP, tornando-se geralmente sistemas especialistas, como é o caso dos CRMs, Logística e sistemas de Recursos Humanos.

De forma óbvia, todos os dados que são preenchidos e gerenciados no sistema ERP é de responsabilidade da marca.

Plataforma de E-commerce

A Plataforma de E-commerce é responsável por licenciar ferramentas que permitam a criação e manutenção pela própria marca de sua loja virtual, para venda dos produtos, bem como para o desenvolvimento de suas atividades.

É na Plataforma de E-commerce que geralmente as marcas possuem dados mais elaborados de seus produtos. Como um Marketplace nada mais é que um grande E-Commerce, os dados que já estão registrados na Plataforma de E-commerce da Marca precisam de menos mudanças antes de serem enviados/encaminhados aos Marketplaces. Descrições vendáveis, imagens, especificações, por muitas vezes estão presentes na Plataforma de E-commerce e não no ERP. Por isso, muitas marcas integram a Plataforma de E-commerce com os Marketplaces para agilizar seu trabalho. Além disso, quando a Plataforma de E-commerce já é integrada com o ERP utilizado pela Marca, acaba tirando o ERP da jogada, simplificando a arquitetura da integração.

Logística

O gateway de frete é a ferramenta que estabelece a ligação entre as plataformas de gestão das lojas online com as empresas transportadoras. É ela quem disponibiliza, à marca, diferentes opções de transportes para o seu negócio. O gateway de frete pode ser um sistema especialista, ou parte de um gateway logístico. O Gateway Logístico é uma solução tecnológica mais abrangente, pois relaciona toda a cadeia logística do e-commerce, e não apenas o transporte em si. Entenda melhor com o post do nosso parceiro Frenet.

No nosso conjunto de processos, o gateway logístico é utilizado em momentos específicos, como após o faturamento do pedido (no preparo do envio), durante o envio, identificando aonde está a mercadoria com a transportadora, até o chamado Last-Mile, onde é feita a entrega ao consumidor.

Inclusive, é somente com a entrega do pedido ao cliente que o Marketplace disponibiliza o valor do pedido à marca, no repasse.

Assim, é de responsabilidade do gateway logístico identificar aonde está o pedido com a transportadora, e se o mesmo já foi entregue ou não.

Hub de Marketplace

Um Hub de Marketplace tem a função de integrar a comunicação de dados entre todos os sistemas. Mas não só isso. Os Hubs de Marketplace vão além das simples integrações de dados. Centralizam a gestão, disponibilizam relatórios, controle de pedidos e SLAs, estoque, preços, frete, SAC, e informações que não são consolidadas nos Marketplaces, ERPs, Plataformas de E-commerce e Logística.

Como praticamente todos os anteriores, o Hub de Marketplace também é um serviço online, sendo de responsabilidade do Hub, primeiramente o básico:

Manter disponíveis os serviços contratados durante 24 horas por dia nos 7 dias da semana, exceto (1) durante interrupções planejadas (geralmente notificados pelo Hub com antecedência) ou (2) em indisponibilidades causadas por caso fortuito ou força maior, ações de governo, inundações, incêndios, terremotos, conflitos civis, atos de terrorismo, e falhas ou atrasos do fornecedor do serviço de Internet.

Além disso, um bom Hub de Marketplace deve prestar os serviços através de pessoal capacitado, para que os mesmos sejam prestados dentro de um padrão de qualidade e perfeição técnica exigível pelo mercado.

Considerando que o Hub utiliza recursos de terceiros para a prestação do serviço contratado e que os quais interagem com os serviços dos marketplaces e sistemas de e-commerce e ERP e dependem da disponibilidade contínua das APIs, na hipótese dos mantenedores destes sistemas terceiros deixarem de disponibilizar as APIs em condições razoáveis para os serviços, o Hub poderá interromper o fornecimento de tais recursos, sem que o cliente tenha direito a qualquer reembolso, crédito ou outras compensações.

*** Um ponto muito válido é não existir um período mínimo de contrato. Um bom Hub de marketplace (um bom serviço online, na verdade) não obriga um período mínimo de adesão. O contrato deve ser válido por tempo indeterminado. É claro que a recomendação é trabalhar com paciência e considerar também a sazonalidade do e-commerce, pois durante o ano acontecem vários eventos que podem aumentar o resultado da sua empresa.

Agora na prática, e como dito anteriormente, a responsabilidade do Hub de Marketplace pode ser resumida na integração de dados e centralização da gestão da operação com os marketplaces. Em itens, é de responsabilidade mínima do Hub de Marketplace, como ferramenta:

– Buscar e copiar dados de produtos (incluindo variações) e categorias do ERP ou da Plataforma de E-commerce, mesmo que sob-demanda;

– Buscar dados de preço, estoque, status de pedidos e nota fiscal e rastreio do ERP ou da Plataforma de E-commerce, automaticamente (e melhor ainda se for em tempo real);

– Buscar status de pedidos dos sistemas de logística (e melhor ainda se for em tempo real);

– Atualizar preço, estoque, status de pedidos e nota fiscal e rastreio nos Marketplaces, automaticamente (e melhor ainda se for em tempo real);

– Buscar dados de pedidos e clientes nos Marketplaces, automaticamente (e melhor ainda se for em tempo real);

– Criar pedidos e clientes no ERP ou na Plataforma de E-commerce, automaticamente (e melhor ainda se for em tempo real);

– Intermediar as cotações de frete dos Marketplaces que permitem esta terceirização de função;

– Entre meio aos processos citados, ainda manipular dados e transformá-los, adequando-os à cada sistema para o qual serão enviados. Permitir o pré-ajuste automatizado dos dados, e também o ajuste e liberação manual;

– Disponibilizar visualizações dos dados e sua situação atual (como status dos produtos, pedidos, etc);

– Adiantar a verificação de requisitos e padrões exigidos pelos marketplaces ainda no Hub, evitando o tempo de checagem até saber que determinado dado não condiz com o esperado;

– Apresentar dados de todos os Marketplaces conectados de forma centralizada, a fim de visualizar os dados da melhor forma possível;

– Entregar autonomia, para que você mesmo possa escolher o que fazer, quando e onde quiser.

Marca (Você!)

Depois de contratar a Hub2b você continua com sua operação normal, cadastrando seus produtos em seu sistema de gestão e/ou e-commerce e, caso o sistema for integrado com a Hub2b, basta clicar em botão para sincronizar o catálogo com nossa plataforma.

Se for o caso da plataforma e-commerce não for compatível com a Hub2b, ou você não ter um sistema assim, o cadastro dos produtos pode ser feito direto na nossa plataforma. Após escolher e conectar quais produtos você quer vender em cada canal, as suas únicas preocupações devem ser gerenciar os pedidos, que agora estão todos em um só lugar, o que é muito incrível considerando o trabalhão que você tinha antes de atualizar canal por canal manualmente.

Especificamente, nos processos envolvendo a integração, cabe à marca:

  1. Fazer a conferência dos dados dos produtos antes de conectá-los nos canais de venda/marketplaces.
  2. Estar ciente dos requisitos exigidos, políticas de uso e participar dos treinamentos ministrados pelos canais de venda/marketplaces e sistemas de e-commerce contratados.
  3. Conectar/Desconectar os produtos para os canais de venda/marketplaces através da plataforma Hub2b.
  4. Ter conhecimentos básicos sobre operação em marketplace.
  5. Seguir as boas práticas de cadastro de produtos de cada marketplace.
  6. Participar dos treinamentos dos marketplaces que operar.
  7. Utilizar o Hub de Marketplace para monitorar se os dados foram enviados com sucesso ou se houve alguma falha na integração;
  8. Adequar os dados necessários para a efetividade das integrações, antes ou depois do aviso do Hub de Marketplace a respeito dos requisitos sobre os dados.

É importante garantir que seus produtos estão com fotos de boa qualidade, a descrição está amigável e atrativa, garantir preços competitivos, ter sempre em estoque e que chegue o quanto antes até seu cliente. Inclusive, ter um bom tempo de entrega aumenta sua relevância e avaliação nos canais de venda, consequentemente, suas vendas aumentam também.

Comentários
Share

A Hub2b conecta a sua marca com os maiores marketplaces do mundo.