Como precificar corretamente os meus produtos?

Precificar corretamente um produto ou um serviço prestado é um dos maiores desafios do empresário, afinal, o preço dos seus produtos e serviços pode ser o principal guia tanto das vendas, quanto da criação de novos cenários e do futuro das empresas.

Definir seu preço apenas com base na concorrência pode ser um grande erro, pois este é um processo que vai muito mais além e pode ser tratado como uma das tarefas mais complexas de uma companhia, que exige total atenção dos responsáveis.

É preciso considerar mais do que os objetivos estratégicos do negócio, e sim, todos os custos envolvidos, seja com processo de produção ou revenda, margens de lucro saudáveis, valor da sua marca no mercado e a percepção dos seus clientes.

O preço ideal é aquele que, ao mesmo tempo que satisfaz os seus clientes e garante um faturamento suficiente para arcar com os gastos da empresa, ainda gera um lucro saudável para novos investimentos.

Vamos entender um pouco sobre este processo, quais erros você deve evitar e dicas para sobre como precificar um produto da forma perfeita para o seu negócio.

 

A importância da precificação de produtos

Em uma pesquisa realizada pela XP Investimentos em 2018, foi avaliado o comportamento dos consumidores que compram pela internet. E então, foi determinado que o preço e a facilidade na compra são dois dos fatores cruciais na hora de fechar seu carrinho online, correspondendo juntos a 70% da tomada de decisão.

A maioria dos consumidores, ao entrar em um site, é bastante atraída pelo preço e promoções dos produtos anunciados, certo? Por isso, fica clara a importância em saber como fazer a precificação de um produto ou serviço da forma correta.

Muitas vezes, precificar errado pode significar uma má interpretação sobre a relação entre o preço e a qualidade dos seus produtos, e consequentemente interferir na relação com seus clientes, que pode não comprar mais os seus produtos ou avaliar negativamente a sua loja.

Leia também: Prepare-se para a Black Friday 2020 com a Hub2b

 

Qual a relação entre o preço e o valor de um produto?

Ao precificar um produto, é importante entender a diferença e a relação que existe entre o seu preço e o seu valor.

O preço de um produto ou serviço, basicamente, é aquela quantia em dinheiro que precisa ser paga para adquiri-los, certo? Já o valor é o que representa todos os benefícios que o produto ou serviço pode agregar na vida e no cotidiano de quem o adquire.

Um exemplo prático é, se a sua prioridade no trabalho é uma ter uma máquina moderna e que te ajude a entregar suas tarefas com agilidade, você provavelmente não se importará em pagar um pouco mais caro por um computador mais potente, já que os seus benefícios são muito mais importantes do que o seu preço.

Ou seja, na hora de precificar um produto, é importante também considerar o seu valor. Portanto, lembre-se de enriquecer o seu produto com diferenciais que levem o consumidor a desejá-lo pelos seus benefícios e associe-o com valores importantes para o seu público, como aventura, praticidade ou independência, por exemplo.

Pense em todos os benefícios que o seu produto pode ter para agregar valor a ele e trazer boas percepções para o cliente na hora de comprá-lo, sem se preocupar com o seu preço. Assim, você não realiza apenas uma venda, e sim, realiza desejos e reais necessidades dos seus clientes e traz muito mais valor à sua marca e produtos.

 

Passo a passo de como fazer a precificação do seu produto

1. Conheça seus custos

A primeira tarefa a se fazer na hora de precificar seus produtos, é colocar na ponta do lápis todos os custos e despesas envolvidos na operação da empresa, e isso vai desde o gasto com matéria prima e fornecedores, até o aluguel do escritório, de máquinas e o salários dos seus funcionários.

 

2. Determine uma margem de lucro saudável

Quanto você quer ter de lucro em cada produto vendido? Lembre-se que, para gerar lucro, não basta apenas cobrir os gastos e também não existe uma margem ideal para todas as empresas, assim como preços muito baixos são ruins para o faturamento, e preços muito altos afastam os clientes. Por isso, busque um equilíbrio saudável.

 

3. Defina os canais de venda

Vender seu produto em marketplaces, no varejo ou atacado, em lojas físicas ou lojas virtuais, podem acarretar em diferentes custos operacionais, dependendo de cada canal, de suas taxas ou em casos de comissionamento. Por isso, é importante conhecer profundamente cada um dos seus canais e definir um preço para cada um deles, mas que seja coerente e que faça sentido para o produto.

 

4. Entenda o mercado

Copiar os preços da concorrência é um grande erro, mas seu preço precisa ser compatível como que vem sendo praticado no mercado e pelos seus concorrentes.

Dica: não se assuste com preços muito mais baixos que o seu em alguma promoção ou ação; seu concorrente pode ter conseguido condições melhores pontualmente para aquele período. Por isso, esqueça as guerras de preço permanentes.

 

5. Use o markup e a margem de contribuição

O markup e a margem de contribuição são índices muito importantes na hora de precificar os seus produtos, que levam em conta o custo de produção e custo de revenda, além de permitir melhores estratégias de competitividade. Fale com o seu contador e entenda mais sobre estes índices para precificar mais estrategicamente os seus produtos.

E o mais importante, nunca deixe ouvir os seus clientes. Afinal, eles são a principal fonte de informação que a sua empresa pode ter para melhorar as estratégias, revisar os preços e criar muito mais vantagem competitiva para os negócios!

Comentários
Share

A Hub2b conecta a sua marca com os maiores marketplaces. Conheça a ferramenta mais prática para gerenciar e automatizar a sua operação nos marketplaces.