Plataforma de marketplace: 5 dicas para escolher a melhor

By:

Os marketplaces têm ganhado espaço e relevância no comércio eletrônico e vêm se mostrando opções para a expansão dos negócios. Isso se deve ao grande alcance que essas plataformas proporcionam.

Com um custo relativamente baixo, é possível que qualquer e-commerce (B2C) ou pessoa jurídica (B2B) possa utilizar esses sites para vender seus produtos.

É por essa facilidade que principalmente os lojistas estão aproveitando websites como extensão das suas próprias lojas. Mas, para escolher a melhor plataforma de marketplace, você deve tomar alguns cuidados.

Pensando nisso, preparamos 5 dicas que você precisa seguir para ter sucesso nessa nova parte do seu negócio.

1. Confira as funcionalidades específicas para cada mercado

Na internet, existe uma grande variedade de marketplaces que abrangem um determinado nicho de mercado. Por isso, é importante identificar quais funcionalidades essas plataformas oferecem e se elas atendem suas necessidades.

Se uma empresa atua no mercado de vestuários — roupas, calçados e acessórios —, ela precisará de aplicações que valorizem ainda mais a exposição dos produtos. Portanto, algumas funções específicas devem existir nesse marketplace, como:

  • espaço para review dos consumidores;

  • ferramenta de zoom;

  • reprodução de vídeos;

  • sugestão de composição de looks.

Como se trata de compras de vestuário on-line, os consumidores precisam ter o máximo de informações — tanto gráficas, audiovisuais e textuais — disponíveis para tomar a decisão de compra.

Se o mercado for de tecnologia, é interessante ter um campo para reviews técnicos feitos por profissionais qualificados ou personalidades influentes da área. Os produtos normalmente têm um valor mais elevado e, por isso, os consumidores tomam mais cuidados quanto à qualidade do que será adquirido.

Portanto, antes mesmo de pesquisar qual plataforma de marketplace escolher, é recomendável que você se informe sobre como é o processo de compra do seu potencial consumidor. Com dados em mãos, será mais simples determinar quais funções serão exigidas para proporcionar a melhor experiência à sua audiência.

2. Avalie o atendimento e suporte oferecidos

Esse é um dos pontos cruciais e que pode determinar se a plataforma realmente levará sua empresa ao sucesso ou será apenas uma fonte de dor de cabeça.

Problemas podem aparecer sem avisar e, quando isso acontecer, a quem você recorrerá? Ao SAC da empresa responsável pela plataforma de marketplace, claro!

A vantagem que um negócio on-line tem perante as lojas físicas é a possibilidade de funcionamento 24 horas, 7 dias por semana. Por isso, o suporte e atendimento das plataformas também precisam acompanhar esse ritmo, sem interrupção.

Além de ter um suporte disponível o máximo de tempo possível, é necessário que o atendimento seja feito de modo rápido e eficiente. Alguns pontos podem ser cruciais para a definição de um atendimento de qualidade.

Seguem os principais:

  • vários canais de atendimento ao lojista — e-mail, telefone, redes sociais e a própria plataforma;

  • acompanhamento do status da resolução de um problema, principalmente se ele for relacionado a algo mais complexo, como o financeiro;

  • uma página FAQ que contenha as principais e recorrentes dúvidas com as suas respectivas respostas.

Esses são alguns aspectos que servirão de base para a avaliação desse serviço tão fundamental a qualquer negócio.

Outra dica é procurar informações sobre a experiência de uso da plataforma com outros lojistas. Como eles estão na mesma posição que sua empresa, seus depoimentos também poderão servir de base para a escolha (ou não) da plataforma.

3. Priorize uma plataforma de marketplace com SEO otimizado

jornada de compra dos consumidores mudou muito nos últimos tempos, e as empresas precisam acompanhar essas transformações. Antes mesmo de tomar uma decisão definitiva de compra, as pessoas buscam informações — em blogs, portais e outros espaços — sobre os produtos. Por isso, os mecanismos de busca são fundamentais tanto para os consumidores, quanto para os lojistas.

SEO (Otimização para os mecanismos de buscas) é um conceito extenso, que exige um planejamento de marketing adequado. No entanto, uma loja bem configurada, é capaz de ficar bem colocada nos buscadores.

Outro aspecto que os mecanismos de busca levam em consideração consiste na responsividade para os dispositivos móveis. Ela é essencial para qualquer plataforma de marketplace, já que o acesso aos celulares aumenta a cada ano e, com ele, a compra on-line por meio deles.

Por isso, contar com um sistema responsivo para mobile se torna extremamente necessário. O carregamento das páginas e dos produtos nesses precisa ser veloz, e o conteúdo, por sua vez, precisa ter adequação automática ao tamanho da tela. Trata-se de uma maneira de permitir melhor visualização da sua página, evitando que o usuário desista de compreender as informações por não enxergar corretamente o que está constando.

4. Verifique os serviços oferecidos pela plataforma

É necessário que a plataforma ofereça serviços a mais. Além de realizar a conexão entre o seu negócio com os grandes varejistas, ela pode incentivar a entrada de novos lojistas com alguns recursos extras.

As empresas ditas como formalizadas (que possuem CNPJ) precisam gerar nota fiscal para toda e qualquer venda que for realizada. Por isso, os marketplaces precisam disponibilizar essa função para os lojistas.

A vantagem de comprar on-line está na facilidade no pagamento e no recebimento dos produtos. Busque uma plataforma que permita que a remuneração seja feita de várias formas — boleto, cartão de crédito e débito. Também é importante que ela possibilite ao lojista ter contato com os serviços dos correios e das transportadoras.

O controle de estoque é outro aspecto essencial para os lojistas começarem a vender nos marketplaces. Muitos e-commerces realizam a integração dos sistemas da loja principal com a plataforma e utilizam um estoque para ambos. Por isso, é fundamental que a plataforma ofereça o controle de estoque.

5. Conheça a taxa cobrada pelo serviço

A taxa cobrada pela plataforma é realmente compatível com o que é oferecido? O alcance e reputação da loja são realmente bons? Essas são algumas perguntas que devem ser feitas no momento de avaliar as taxas e condições que os marketplaces cobram.

Cada empresa trabalha com um tipo de cobrança por seus serviços. Algumas recebem por taxa de instalação e, em seguida, solicitam uma mensalidade. Outras cobram um valor fixo por transação realizada. Há, ainda, um modelo de negócio em que os marketplaces recebem uma comissão pelas vendas, o que pode ser previamente combinado.

Escolher uma plataforma de marketplace pode não ser uma tarefa fácil. Porém, para que não se tenha problemas futuros, é essencial realizar muita pesquisa e traçar um bom planejamento estratégico.

Gostou do nosso artigo e quer mais informações sobre o assunto? Basta entrar em contato conosco que teremos prazer em ajudá-lo!

Comentários
Share

A Hub2b conecta a sua marca com os maiores marketplaces do mundo.